Daniela Reis do Nascimento

Belas, recatadas e do lar? Performances de intimidade na disputa de sentidos sobre ser mulher

Orientador: Prof. Dr. Guilherme Nery

Resumo:
Este estudo debate os efeitos de discursos e performances de intimidade na esfera pública. Para tanto, seleciona como objeto as construções discursivas sobre a mulher produzidos no contexto da polêmica “bela, recatada e do lar”, nascida de um perfil jornalístico da revista Veja sobre a atual primeira-dama do Brasil, Marcela Temer. O corpus, portanto, não se resume à reportagem, mas também engloba as manifestações dos sujeitos sobre a controvérsia nas redes sociais online. A pesquisa inicia-se com um rastreamento sobre os variados sentidos da dicotomia público e privado. Tal etapa desemboca em um percurso pela linha do tempo, que se concentra no Ocidente, como um todo, e no Brasil, de modo específico, a fim de entender como a herança cultural externa articulou-se com características do país para criar institucionalizações próprias sobre a intimidade. Posteriormente, investigam-se e problematizam-se as relações da mídia com a política, o espetáculo, o culto à personalidade e a construção de imagem pública. Por fim, realiza-se um estudo de caso através de uma combinação de métodos que inclui tanto determinadas Teorias da Comunicação quanto parte do dispositivo conceitual da Análise do Discurso. A partir dos alicerces implementados por esta abordagem espera-se estabelecer as bases para uma compreensão profunda sobre os discursos performáticos de intimidade.

Palavras-chave: intimidade; efeitos de sentido; discurso; cotidiano; esfera pública

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6688


Débora Ribeiro Gonçalves

Gamificação para engajar no M-Learning: motivação e participação na educação à distância

Orientador: Prof. Dr. Alexandre Farbiarz

Resumo:
A gamificação parte dos princípios fundantes do jogo que estão atrelados ao prazer e à diversão, para decompor elementos que engajam e motivam pessoas em situações que não sejam de jogo. Por isso ela tem sido alçada como instrumento nas mais diversas mediações das relações cotidianas e em seus processos comunicacionais, inclusive como promessa de ruptura de antigos modelos educacionais, tornando-se parte de um novo paradigma. Nesta pesquisa, interessa-nos observar resultados da gamificação, no contexto da Cultura Digital, que dispõe de tecnologias digitais da informação e da comunicação – TDIC – para extrair possibilidades de aplicação na Educação a Distância. Esta dissertação tem como objetivo compreender quais aspectos preponderantes da gamificação são responsáveis por potencializar a motivação, o engajamento e a retenção dos alunos na EaD. Nesse sentido, foram abordadas questões que envolviam identificar como a gamificação promove ou potencializa, por meio da comunicação, a motivação e o engajamento e quais características fundantes e elementos dos jogos se mostraram preponderantes nesses processos, de forma que tais achados pudessem ser aplicados na EaD que dispõe da utilização de dispositivos móveis. Para isso, em um primeiro momento, uma revisão bibliográfica apresentou os principais autores que conceituam o jogo, a gamificação, os elementos de jogo envolvidos no engajamento e na motivação e as abordagens sobre os aspectos motivacionais; e em um segundo momento, uma análise categorial foi aplicada ao corpus, composto por uma seleção de artigos do SBGames, entre os anos de 2012 e 2017, que abordam o tema da gamificação, totalizando 44 artigos. Embora os artigos do corpus não tenham sido suficientes para mostrar um resultado claro e direto na resolução do problema de evasão de alunos na EaD, dois artigos revelaram que elementos como interação, narrativa e colaboração impactam no engajamento e nas motivações intrínseca e extrínseca, evidenciando a afetividade dos sujeitos em um contexto comunicacional facilitado pela utilização de dispositivos móveis, no processo de ensino-aprendizagem.

Palavras-chaves: gamificação;engajamento;m-learning, EaD;mídia-educação

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/8829


Fernanda Angelo Constantino

“Cinco motivos para você me dar match”: o gerenciamento da impressão no aplicativo Tinder

Orientador: Prof. Dr. Emmanoel Ferreira

Resumo:
Esta dissertação busca discutir a performance de si no aplicativo Tinder, com foco principalmente no conceito de gerenciamento da impressão elaborado por Erwing Goffman (2002), em sua obra “A Representação do Eu na Vida Cotidiana”. Gerenciamento da impressão diz respeito à forma como os sujeitos constroem sua autoapresentação a partir do olhar do outro, tentando administrar a impressão que o mesmo terá da narrativa exposta. Para a elaboração deste trabalho, foram analisados 100 perfis de usuários homens e realizadas entrevistas semiestruturadas com 8 usuárias mulheres, com o intuito de perceber a forma como as mesmas recebem as narrativas de apresentação dos usuários do gênero masculino. Com base na pesquisa empírica, percebeu-se algumas questões importantes na performance de si no Tinder: 1) a preocupação com a autenticidade, tanto no sentido de uma originalidade na criação do perfil, quanto em relação à honestidade das informações ali expostas (tal cenário influencia a construção de uma narrativa de si feita no limiar entre uma auto-promoção e um perfil autêntico); 2) a busca a partir de esteriótipos, em um contexto onde são poucas as pistas sociais que permitem avaliar o outro no momento da interação; 3) a apresentação de si a partir do gerenciamento da impressão que se deseja transmitir, trazendo a percepção de que o self ali exposto será ou não confirmado em um segundo momento, e trazendo ainda a busca por vestígios e rupturas de tais apresentações em outros contextos online, como outros sites e aplicativos de redes sociais.

Palavras-chave: Identidade; Performance; Gerenciamento da Impressão; Tinder.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6651


Filipe Mello de Souza Cabral

A pesquisa em Mídia e Cotidiano no contexto da tradição crítica latino-americana de Comunicação

Orientador: Prof. Dr. Marco A. F. Schneider.

Resumo:
Este trabalho tem como objeto de investigação a pesquisa em Mídia e Cotidiano no contexto da tradição crítica latino-americana de Comunicação. Seu objetivo geral é entender de que modo a pesquisa em Mídia e Cotidiano dialoga com a tradição crítica latino-americana em comunicação. Seus objetivos específicos são efetuar um levantamento e uma contextualização dessa tradição crítica no âmbito das teorias da Comunicação como um todo; e desenvolver uma primeira autoanálise do PPGMC/UFF, programa no âmbito do qual esta pesquisa foi desenvolvida, em termos teóricos e político-institucionais, com base no referencial teórico adotado pelo PPGMC/UFF, bem como em seus documentos de fundação e institucionalização junto à Capes. Metodologicamente, trata-se de uma pesquisa teórica e de um estudo de caso. Recorre às técnicas de pesquisa bibliográfica e documental, e a entrevistas com alguns dos pesquisadores que criaram o Programa, nele atuando desde sua fundação. A pesquisa divide-se em três grandes etapas: a) apresentação e contextualização (histórica e epistemológica) da tradição crítica latino-americana de comunicação; b) reflexão sobre a construção teórica e metodológica da pesquisa em Mídia e Cotidiano; c) estudo de caso do PPGMC/UFF. Parte-se da hipótese de que a pesquisa em Mídia e Cotidiano pode ser alinhada ao pensamento crítico latino-americano em Comunicação. Conclui-se que a hipótese procede e que a pesquisa em Mídia e Cotidiano é um novo desdobramento dessa tradição teórica, enquanto atualização crítica das teorias das mediações culturais.

Palavras-chave: mídia; cotidiano; teorias críticas; América Latina; campo da comunicação

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6589


Juliana Souza Lima

Caminho em ruínas: a distopia de Jogos Vorazes como diagnóstico do tempo

Orientador: Prof. Dr. Emmanoel Ferreira

Resumo:
Esta dissertação tem como objetivo analisar a relevância da produção de narrativas distópicas enquanto reflexo da vida cotidiana e seus elementos a partir da obra Jogos Vorazes¸ de Suzanne Collins. Subgênero da Ficção Científica, é característico das distopias apresentar uma trama ambientada em um futuro pós-apocalíptico, visto como um cenário pior do que o tempo presente. Entretanto, após investigar os recursos estilísticos do gênero literário, as especificidades da narrativa e a relação que o leitor/espectador estabelece com o mundo ficcional, constatamos que o futuro imaginado, muito mais do que criar um alarme para o tempo que está por vir, utiliza o imaginário com elementos facilmente identificados no tempo presente, caracterizando críticas implícitas e insatisfações com o cotidiano. Tais elementos puderam ser compreendidos a partir da análise de conceitos político-teóricos presentes na narrativa e do entendimento da representação da realidade através da ficção e a consequente suspensão do cotidiano. Com a comparação das obras distópicas do século XX com a trama de Jogos Vorazes, concluímos também que a mudança do protagonismo da narrativa para o gênero feminino contribuiu para uma jornada de autoconhecimento e fortalecimento da personagem principal, uma quebra de estigma em meio à busca por mudanças efetivas contra o poder dominante.

Palavras-Chave: Cotidiano; Narrativa; Distopia; Jogos Vorazes.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6639


Lucas Eduardo Lima Dantas

Espaço urbano, o morador de rua e sua representação: exclusão e significação através da mídia

Orientadora: Profª. Drª. Laura Martini Bedran

Resumo:
As investigações propostas nesse trabalho buscaram refletir acerca da representação da População em Situação de Rua (PSR) na mídia, tendo como base sua relação com o espaço urbano, suas significações e conflitos gerados sobre o mesmo e a maneira como este grupo é visto pela mídia carioca. Buscou-se, inicialmente, um levantamento bibliográfico para a compreensão do espaço urbano como formação e fonte de subjetividades de modo a apreender a condição do morador de rua nele inserido. Para tanto, também foram levantadas as políticas públicas definidas para esta população buscando expor a visão adotada pelas esferas de poder da sociedade sobre a PSR. A partir disso, a pesquisa propõe o levantamento e análise de notícias abordadas sobre a PSR no campo midiático digital, onde três grandes veículos de comunicação foram investigados – O Globo, Extra e O Dia -, além da página “Rio Invisível”, situada na plataforma da rede social, o Facebook, como mídia alternativa. A análise sobre o material recolhido discutiu a representação deste grupo nos segmentos informativos digitais, avaliando a maneira como este foi retratado, expondo as estratégias e elementos usados para construção dos variados perfis de representação da PSR. Os resultados também buscaram refletir acerca da visibilidade ou mesmo a invisibilidade desta população perante a sociedade, o estado e a mídia ao ocupar os espaços esquecidos ou não reconhecidos como espaços ativos da cidade.

Palavras-chave: População de rua; Cotidiano; Cidade. Representação; Mídias digitais

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6698


Luiza Cunha Barata

A busca por territórios midiáticos depois das remoções: perspectivas de moradores da providência sobre a cidade olímpica

Orientadora: Profª. Drª. Andrea Meyer Landulpho Medrado

Resumo:
Desde a intenção de candidatura para os Jogos Olímpicos de 2016, o Rio de Janeiro vem passando por inúmeras transformações urbanas. Apesar dos megaeventos terem trazido diferentes tipos de impactos para os moradores da cidade, as narrativas da mídia corporativa se concentraram, principalmente, em destacar tais mudanças de maneira bastante positiva. O que, como se sabe, não se concretizou desta forma para todos. O objetivo deste trabalho é percorrer e investigar, por meio da etnografia, “territórios midiáticos” (Tosoni; Tarantino, 2013) de pessoas que ainda vivenciam impactos de um processo de adequação frente às consequências das transformações da cidade após o período de realização dos megaevento. Territórios midiáticos são operações discursivas realizadas por atores sociais que têm como principal objetivo ganhar posições vantajosas dentro de um conflito urbano. Partindo deste princípio, vamos analisar os espaços de mídia que moradores do Morro da Providência ocupam para reafirmar a própria história e, consequentemente, a da favela neste momento seguinte às remoções. Pelo que pode ser observado, com base em duas trajetórias midiáticas que foram abordadas em profundidade, a produção de mídia é impulsionada por meio das redes sociais e caracteriza exemplo de mídia tática, reforçando laços de moradores com o próprio território (físico) da favela.

Palavras-chave: megaeventos; favelas; Morro da Providência; territórios midiáticos; mídia e cotidiano.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6699


Marcela Chaves Barino do Valle

A voz dos fotógrafos: uma análise da função pública e da potência política da fotografia documental em cenas da vida cotidiana no everyday áfrica

Orientadora: Profª Drª Patrícia Saldanha

Resumo:
A Fotografia é o tema central da pesquisa. Parte constituinte da vida cotidiana na contemporaneidade, as imagens que alcançam os espectadores consubstanciam concepções e valores sobre o que iluminam. Portanto, problematiza-se sobre que fotografia é essa que se propõe a revelar o mundo através de histórias verídicas, propósito do documentarismo, mas que, todavia, se encontra frequentemente sujeita a direcionamentos, ressignificações e silenciamentos da mídia, do Estado ou do capital. A imagem da África é massificada em rotineiras reportagens que narram a mesma tipologia de histórias de fome e guerra, enquanto silenciam outras temáticas e pontos de vista possíveis. Neste contexto, o projeto coletivo Everyday África se utiliza da prática política da fotografia documental para disputar o sentido dominante através da soma de novas imagens e histórias narradas por seus fotógrafos sobre a vida cotidiana na África. Portanto, o objetivo da pesquisa teórica e documental se concentra em analisar se a fotografia apenas reforça crenças preexistentes ou se ela detém a potência de disputar concepções e imagem de mundo. A metodologia escolhida foi por revisão bibliográfica e análise de conteúdo, segundo Laurence Bardin. O método aplicado consistiu em delimitar categorizações e séries de análise divididas em etapas capazes de abarcar fotógrafos, referentes, imagens e, inclusive, espectadores do corpus delimitado, o perfil do Everyday África no Instagram, com o recorte nas fotografias postadas no ano de 2016. Duas linhagens se entrecruzam no trabalho, Documentarismo e Orientalismo, enquanto dois conceitos permeiam o processo investigativo, Mídia e Cotidiano. A teoria primordial de Walter Benjamin acerca da Fotografia fundamenta as elaborações ao longo de toda a dissertação. Ao passo que o embasamento teórico se desenvolve com Allan Sekula no Documentarismo, Stuart Hall nos Estudos Culturais, Agnes Heller no Cotidiano, Douglas Kellner na Mídia, Edward Said no Orientalismo e Kwame Anthony Appiah na Filosofia da África.

Palavras-chaves: fotografia documental; imagem de mundo; mídia e cotidiano; arte e política; everydayafrica

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/8156

 


Marcella Maria Monteiro Vieira

Vlado (no) presente: atualizações narrativas e estratégias de memória sobre Vladimir Herzog nas redes sociais

Orientadora: Profª. Drª. Renata de Rezende Ribeiro

Resumo:
Diante das comemorações pelo aniversário de 40 anos da morte de Vladimir Herzog, em outubro de 2015, o Instituto que leva o nome do jornalista publicou, em suas páginas nos sites de rede social Facebook, Instagram e Twitter, uma série de imagens, documentos, arquivos e informações em homenagem a Herzog. Sua morte foi uma das mais simbólicas entre os muitos presos, torturados e assassinados pelas forças de repressão da ditadura civil-militar no Brasil. Essas publicações podem ser, porém, mais do que meras homenagens. Elas dão pistas de serem também formas possivelmente mais organizadas de estratégias de memória e atualizações narrativas sobre o personagem emblemático que foi Vladimir Herzog. Foi essa a investigação que fizemos ao longo da pesquisa, que se propõe a refletir, a partir de estudos do que entendemos como uma cultura da memória, sobre essas atualizações, que marcam uma permanência continua de Herzog nas redes, articulando informações de passado, presente e futuro em fluxo constante. Para isso, analisamos como o Instituto faz circular nessas redes as efemérides ligadas ao acontecimento da morte de Herzog, sendo que, neste trabalho, damos destaque às postagens do órgão que contêm a hashtag #vlado40anos, presente em várias publicações de 2015. Avaliamos, nessas mesmas postagens, como se dão as reconstruções de lembranças pelo Instituto Vladimir Herzog, que acabam por constituir marcos comemorativos relacionados ao episódio. A partir dessas atualizações narrativas, percebemos que a “presença” de Herzog nas redes sociais, de forma mais institucionalizada e chancelada por uma organização da sociedade civil, pode gerar inúmeros debates entre memórias que, antes subterrâneas, tornam-se, a partir do processo de redemocratização, mais organizadas, mesclando lembranças individuais e familiares, pessoais e coletivas, e desencadeando também uma série de camadas de esquecimento.

Palavras-chave: Memória; Acontecimento; Cotidiano; Redes Sociais; Vladimir Herzog

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/8142


Marcus Aurélio de Carvalho

Rádios comunitárias em crise existencial: linguagem e afetos na era do ouvinte comunicador

Orientador: Prof. Dr. João Batista de Abreu

Resumo:
Esta dissertação analisa a crise enfrentada por duas rádios comunitárias consideradas referências como projetos de democratização da comunicação no estado do Rio de Janeiro na segunda metade dos anos 1990. Ambas enfrentam hoje um processo de perda gradativa de audiência e protagonismo nas regiões alcançadas por seus transmissores: Rádio Novos Rumos FM, de Queimados, Baixada Fluminense (RJ), e Rádio Bicuda FM, de Vaz Lobo, Rio de Janeiro (RJ). O principal objetivo é identificar as alterações na linguagem, na programação radiofônica e na utilização das tecnologias digitais para identificar o que teria provocado a perda parcial de relevância das emissoras. Foram ouvidas 40 horas de programação: 20 de cada rádio. Os resultados levam em conta a relação entre linguagem, afetos, representações e produção de sentido em uma época de constantes transformações tecnológicas e na forma de consumir conteúdo audiovisual, levado em conta a linguagem radiofônica como fio condutor da pesquisa. As questões políticas, jurídicas e tecnológicas que dificultam a ampliação do impacto dessas emissoras são pontos transversais ao tema central: como as emissoras tentam conquistar audiência, através das potencialidades da linguagem radiofônica, e como se relacionam com os afetos dos ouvintes.

Palavras-chave: rádio comunitária; mídia; cotidiano; linguagem.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/8159


Mariana de Carvalho Ghetti

O uso das redes sociais na produção telejornalística cotidiana: estudo de caso do Whatsapp no RJTV

Orientadora: Profª. Drª. Renata de Rezende Ribeiro

Resumo:
A participação do público no processo de produção jornalística pode ser caracterizada, de maneira ampla, pela criação de mecanismos que possibilitam envolvê-lo em diferentes etapas dos processos de criação, análise e distribuição das notícias. A pesquisa se propõe a analisar a colaboração dos telespectadores, por meio das redes sociais, no processo de produção da notícia no telejornal. Para isso, selecionamos como objeto de análise a utilização da ferramenta WhatsApp no RJTV, noticiário local (da cidade do Rio de Janeiro) da emissora Rede Globo. Através de percurso bibliográfico situado no contexto das novas mídias, em meio ao cotidiano dos sujeitos e aos modos de sociabilidade que transformam o espaço, objetivamos pensar as ferramentas e os mecanismos que possibilitam uma crescente cultura de participação, compartilhamento e flagrante que desenvolve novos modos de produção de sentido no fazer telejornalístico. A parte empírica da pesquisa é composta pelo estudo de caso sobre o objeto, a partir da análise de conteúdo de 24 edições selecionadas e entrevista em profundidade com a profissional da equipe do telejornal RJTV responsável pelo uso do WhatsApp.

Palavras-chave: Telejornalismo; Cotidiano; Aplicativos de redes sociais; participação; WhatsApp; RJTV.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6647


Marina Roale Fabrício Rodrigues

“MEME, MEU IDIOMA”: Os Usos e Apropriações de Memes por Nativos Digitais para Falar de Política no Cotidiano

Orientadora: Andrea Medrado

Resumo:
Estamos vivendo em meio a um extraordinário aumento de nossa capacidade de compartilhar, trocar ideias e emitir opiniões, tudo isso fora de instituições e organizações tradicionais. Por isso, pensar a relação entre ciberespaço e política se torna cada vez mais necessário. O cenário é paradoxal, pois, ao mesmo tempo em que se vive uma avalanche informacional capaz de disseminar uma certa sensação de insegurança e caos, também se vivencia novas possibilidades de se expressar em rede e participar da vida em sociedade. Dentro desse cenário surgem novas formas de linguagem que se desdobram em diferentes usos e apropriações a partir de diferentes contextos. Essa nova conjuntura nos possibilita reflexões acerca de um novo jeito de pensar cotidiano, identidade e política. Por isso, nosso objetivo neste estudo é problematizar um dos fenômenos emergentes desse tempo: os memes. Partindo dos nativos digitais, também conhecidos como geração Z, buscamos entender as novas relações que os jovens estão construindo com a política brasileira no mundo contemporâneo.

Palavras-chaves: Política;Cotidiano;Nativos digitais;Geração z;Memes

Link:


Nara Rosa Meireles

A imagem do jovem na TV: análise sobre a inserção da juventude no telejornalismo local do Rio de Janeiro

Orientador: Prof. Dr. João Batista de Abreu Junior

Resumo:
O telejornalismo desempenha hoje papel fundamental na construção do cotidiano. É por meio dele que a maior parte da população brasileira tem acesso não só a notícias, mas a uma visão de mundo cercada de valores e conceitos. A televisão passou a existir em escala industrial e por sinal aberto no país na década de 1950 e se consagrou, ao longo dos anos, como o meio de comunicação mais consumido pela sociedade. Neste cenário, a forma como grupos sociais são inseridos na programação telejornalística interfere diretamente na maneira como as identidades coletivas são construídas e como tais grupos passam a enxergar a si próprios e a ser vistos pelos demais. A juventude merece atenção especial por ter passado nos últimos anos por um importante processo de mudanças relativas à participação social e à vontade de propor e interferir ativamente nas transformações. A partir da relação entre a plataforma de notícias de maior alcance nacional e um grupo social estruturado e agora consciente do espaço que pode ocupar, esta dissertação busca compreender a forma como os jovens são retratados no telejornalismo local diário do Rio de Janeiro e perceber se as opiniões e expectativas destes cidadãos são levadas em conta pelas empresas de comunicação. A pesquisa mergulha em uma extensa revisão bibliográfica a respeito da televisão e da juventude, e analisa 30 edições na íntegra de noticiários das duas emissoras de maior audiência do país a partir do conteúdo textual e do teor apresentado por meio de imagens. São consideradas opiniões e posicionamentos dos editores-chefes e apresentadores dos noticiários, responsáveis, em grande parte, pelo conteúdo final que chega aos telespectadores. Traça um panorama da forma como a juventude é inserida no telejornalismo local apresentado à capital e à Região Metropolitana fluminenses na esperança de levantar uma discussão importante sobre a representação do grupo na mídia e propor uma cobertura que fuja do senso comum e inclua, de fato, o jovem.

Palavras-chave: Telejornalismo; juventude; senso comum; mídia; cotidiano.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6652


Patrícia Fernandes Viana Franco Castro

TV, cotidiano e neotribos: Consumo coletivo, transmídia e convergencia em @NETFLIXBRASIL (Facebook)

Orientadora: Carla Baiense Felix

Resumo:
O propósito dessa pesquisa é entender como a página @NetflixBrasil, na rede social digital Facebook, pode ser aproveitada no e como parte do processo coletivo, convergente e transmídia de recepção dos produtos midiáticos distribuídos pelo serviço de streaming de vídeos Netflix. Dessa forma, investigamos as imbricações cotidianas da recepção midiática de produtos audiovisuais em um cenário, cada vez mais, midiatizado e em rede, o que se dá com negociações nos usos e produções de sentido, vinculando as relações midiático-culturais a apropriações e ressignificações por dentro. Para tal, realizamos um estudo de inspiração netnográfica por seis meses, analisando interações na página e entrevistando alguns dos sujeitos mais ativos nela.

Palavras-chave: Mídias; Cotidiano; TV; Netflix; Facebook; Netnografia
Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/8830


Paula Ceccon Thurler

Vozes sobre imagens: produção de sentidos a partir do audiovisual na infância

Orientador: Prof. Dr. Alexandre Farbiarz

Resumo:
Ao observar os hábitos de consumo de mídia audiovisual de crianças na Contemporaneidade – tempos líquidos (BAUMAN, 2001) e altamente mediados (KELLNER, 2008) –, esta pesquisa tem como objetivo analisar a produção de sentidos de um grupo alunos de uma escola municipal do interior do Rio de Janeiro a partir de conteúdos audiovisuais assistidos por eles em seu cotidiano – sejam na TV ou na Internet. Nesse sentido, foram abordadas também questões como as mediações envolvidas no processo de assistência das crianças e indícios de leitura crítica da mídia. A pesquisa de campo contou com duas etapas, realizadas na escola, em 2017, com 48 alunos do 3º ano do Ensino Fundamental. Na primeira etapa, foram realizadas entrevistas individuais com os alunos, abordando temas como hábitos e preferências de lazer das crianças, o uso de suportes móveis (celular, tablet, notebook) para assistir conteúdos audiovisuais e a relação destes conteúdos com o consumo de produtos ligados a eles. Verificamos, nesta etapa, que as crianças têm uma assistência de conteúdos partilhada entre diferentes suportes e que, por vezes, assistem conteúdos originários da TV na Internet ou vice-versa. Entendemos que, para elas, o conteúdo tem mais relevância que a tela onde se assiste. Já na segunda etapa, atividades de grupo realizadas com algumas crianças permitiram verificar características da produção de sentidos do grupo, além de questões relacionadas às mediações e à leitura crítica da mídia. Percebemos que as crianças produzem sentido de forma diversa e criativa, extrapolando, muitas vezes, o determinismo do pensamento adulto baseado no senso comum. Porém, em alguns momentos, elas são de certa forma absorvidas pelas mensagens pretendidas pelos produtores de conteúdo, não as avaliando de forma crítica. Nesse ponto, discutimos a necessidade de ações voltadas à Educação Crítica para as Mídias. Verificamos também a relevância das mediações nos processos comunicativos das crianças, observando que elas carregam fortes relações com os sentidos produzidos pelas crianças a partir dos conteúdos assistidos.

Palavras-chave: infância; mídia; cotidiano; audiovisual; TV; internet; educação.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/8128


Renata Nascimento da Silva

A máscara obscura do ódio racial: segregação, anonimato e violência nas redes sociais

Orientador: Prof. Dr. Guilherme Nery

Resumo:
Esta pesquisa analisa as novas formas de mascaramento do ódio racial no cotidiano do sujeito, discutindo especialmente a construção das retóricas racistas dentro das redes sociais. O objetivo deste estudo é analisar como os discursos cibernéticos são capazes de ampliar o racismo bem como, verificar como essas retóricas se expressam no contexto virtual problematizando o seu papel no surgimento de novas formas de ataques racistas. A pesquisa explora as variantes do racismo, a importância da alteridade e da necessidade em conscientizar os usuários online da propagação da ideologia racista, por meio de piadas, memes e vídeos. O trabalho também analisa, com base na netnografia, como as redes sociais, especificamente o facebook, facilita a manifestação da segregação, da depreciação do negro e da baixa autoestima do sujeito negro. Deste modo, o caminho metodológico associa a netnografia com análise do discurso utilizando, para tanto, Michel Foucault (discurso), John Thompson (teoria social) e Teun van Dijk (linguística textual), A partir desses autores adotamos, portanto, como itinerário metodológico, a Análise do Discurso Crítico (CDA) e a netnografia visando verificar de que maneira os mecanismos retóricos do racismo acontecem nas fanpages “Negros Contra o Movimento Negro – 2 (NCMN)” e “Preto Opressor (PO)”. Estas duas fanpages revelam a importância das redes sociais no processo de visibilidade midiática e política, do reconhecimento para novas formas de representação racistas que têm afetado o coletivo negro.

Palavras-chave: Ódio nas Redes Sociais; Racismo; Minorias Raciais; Segregacionismo; Cotidiano

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6660