Obrigatórias


Mídia e Cotidiano (60h) – Obrigatória Mestrado e Doutorado

Dois conceitos fornecem a base para o desenvolvimento desta disciplina: primeiro, o de que o cotidiano é o ambiente onde se processam as transformações sociais; segundo, o de que a contemporaneidade é ambientada pela mídia e, portanto, estabelece-se uma relação necessária entre mídia e vida cotidiana, com seus reflexos no senso comum. Tais relações serão estudadas no contexto da sociedade do espetáculo, da mercadoria, e da midiatização das relações sociais, com ênfase no papel das grandes corporações de mídia e nas perspectivas da “sociedade em rede”, com suas possibilidades e ilusões. Adota-se a perspectiva da dialética entre fenômeno, processo e discursos para a abordagem da naturalização dos fatos, recorrente no jornalismo e na publicidade, no cinema e em outras manifestações midiáticas e apresenta-se o conceito de suspensão da cotidianidade como mediação para a crítica do senso comum.

Bibliografia
BERGER, Peter L. & LUCKMANN, Thomas. A Construção social da Realidade. 36ª Ed. Petrópolis: Vozes, 2014
DE CERTEAU, Michel. A invenção do cotidiano. 1. Artes de fazer. 9ª Ed. Petrópolis: Vozes, 2003.
HELLER, Agnes. O cotidiano e a história. São Paulo:Paz e Terra, 1992.
KELLNER, Douglas. A Cultura da mídia. Estudos culturais, identidade e política entre o moderno e o pós-moderno. Bauru: Edusc,2001.
MARTÍN-BARBERO, Jesus. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: UFRJ, 2003.


Metodologia da Pesquisa em Comunicação (60h) – Obrigatória Mestrado

Será trabalhada a Pesquisa Científica em Comunicação, compreendida como conhecimento científico, enfatizando suas estruturas de pesquisa científica, métodos e técnicas e diferentes tipos de pesquisa. A elaboração e execução de projetos de pesquisa em Comunicação levará também em conta a revisão de literatura e a formatação e normas técnicas de citações e referências.

Bibliografia
ALVES-MAZZOTTI, Alda J. & GEWANDSZNAJDER, Fernando. O método nas ciências naturais e sociais: pesquisa quantitativa e qualitativa. São Paulo: Pioneira, 1998.
DEMO, Pedro. Metodologia Cientifica em Ciências Sociais. São Paulo: Atlas, 2006.
DENCKER, Ada de Freitas & VIÁ, Sarah Chucid da. Pesquisa empírica em ciências humanas (com ênfase em comunicação). São Paulo: Futura, 2001.
DUARTE, Jorge; BARROS, Antonio (Orgs.). Métodos e técnicas de pesquisa em comunicação. São Paulo: Atlas, 2005.
ECO, Umberto. Como se faz uma tese. São Paulo: Perspectiva, 2003.
LOPES, Maria Immacolata Vassallo de. Pesquisa em comunicação – formulação de um modelo metodológico. São Paulo: Loyola, 1990.


Estudos Críticos do Cotidiano e da Midiatização (60h) – Obrigatória Doutorado

Aprofunda as discussões desenvolvidas na disciplina “Mídia e Cotidiano” focando, especialmente, a perspectiva crítica, com destaque ao contexto latino-americano. Os estudos têm como ponto-chave considerar que a pesquisa crítica sobre a relação mídia (reconhecida aqui como os aparatos técnicos e institucionalizados que criam relações de interação mediadas) e cotidiano (espaço/tempo das práticas e relações sociais) inclui a compreensão/discussão dos processos de mediação efetuados por ambos que, por sua vez, são historicamente vinculados a um contexto/realidade social. Também problematiza os conceitos de midiatização da sociedade, em chave que destaca o papel/função da mídia como agente de transformação social.

Bibliografia

CABALLERO, F. Comunicación y Buen Vivir. Nuevas matrices teóricas del pensamiento latinoamericano. In: Revista Chasqui. Quito. n.131, 2016. (p. 9-20). Disponível em:
http://www.revistachasqui.org/index.php/chasqui/article/view/2899
FAUSTO NETO, Antônio (Org.). Midiatização e Processos Sociais – aspectos metodológicos.Santa Cruz: Edunisc, 2010.
GOFFMAN, E. A representação do Eu na Vida Cotidiana. 13ª Ed. Petrópolis: Editora Vozes, 2013.
HJARVARD, Stig. “Midiatização: teorizando a mídia como agente de mudança social e cultural”. Revista Matrizes, v.5, nº2, 2012. Pp 53-93. Disponível em
https://www.revistas.usp.br/matrizes/article/view/38327/41182
HORKHEIMER, M. Teoria Tradicional e Teoria Crítica. 1937. Disponível em: http://bls1.info/pdfs/2013-horkheimer-tradicional-e-teoria-critica.pdf.
LACOMBE, M. Os fundamentos marxistas de uma sociologia do cotidiano. In: Revista Outubro. ed. 17, 2008. Disponível em: http://outubrorevista.com.br/wp-content/uploads/2015/02/Revista-
OutubroEdic%CC%A7a%CC%83o-17-Artigo-05.pdf.
LEFEBVRE, H. A vida cotidiana no mundo moderno. Tradução: Alcides João de Barros. Éditions Galimard, 1968. São Paulo: Editora Ática, 1991.
MAFFESOLI, M. O Conhecimento Comum – Introdução à sociologia compreensiva. Porto Alegre: Sulina, 2010.
MARTÍN-BARBERO, J. O Ofício do Cartógrafo – Travessias latino-americanas da comunicação na cultura. São Paulo: Edições Loyola, 2004.
MATTOS, Maria Ângela; JANOTTI JUNIOR, Jeder; JACKS, Nilda (Orgs). Mediação & Midiatização. Salvador: EDUFBA; Brasília: Compós, 2012.
MORAES, Denis. Sociedade Midiatizada. Rio de Janeiro: Mauad, 2006.
PAIS, J. M. Sociologia da vida quotidiana. Teorias, Métodos e Estudos de Caso. Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais, 2002