Apresentação

Passando por sua primeira avaliação quadrienal em 2016, o Programa de Pós-Graduação Mídia e Cotidiano – PPGMC – que foi aprovado em 2012 pela CAPES e começou sua primeira turma em 2013, com 18 alunos matriculados no Mestrado Acadêmico – conquista a  NOTA 4. Portanto, já neste primeiro quadriênio, o Programa Mídia e Cotidiano confirma a sua coerência e, com a mudança de nota apresentou seu projeto de doutorado, que foi aprovado em 2018.  Assim, em 2019 inicia sua primeira turma de Doutorado após formar 3 turmas de Mestres em Mídia e Cotidiano.
O Programa integra a Grande Área de Ciências da Comunicação e Informação da CAPES e tem como área de concentração “Discursos Midiáticos e Práticas Sociais”. Esta compreende, dialeticamente, as relações entre mídia e vida cotidiana, analisando as contradições e potencialidades dos discursos midiáticos, sua influência ideológica, seus referenciais culturais e sua incorporação/transformação pelas práticas sociais.
O PPGMC abrange estudos articulados de suportes, produtos e processos nas áreas de jornalismo, publicidade, meios audiovisuais, design e tecnologias digitais, que instrumentalizam práticas sócio-discursivas. Também investiga a relação da Comunicação e Educação.
Seu corpo docente conta hoje com 14 professores permanentes e dois colaboradores, além da colaboração de uma Pós-doutoranda, com bolsa PNPD.
O PPGMC tem formado seu corpo discente com mestrandos oriundos, em maior parte, dos cursos de Comunicação de várias partes do país, mas também acolhe alunos formados em Educação, Ciências Sociais, Administração, entre outras. No doutorado, a proposta é a mesma.
O Programa avalia que uma das suas responsabilidades é a formação regional e a realização de um Processo Seletivo que expresse as políticas de inclusão social, a articulação com o Ensino Básico Público e o fomento ao intercâmbio internacional. Oferece, assim, 20 vagas por seleção no Mestrado, sendo duas (02) reservadas para professor do Ensino Básico Público; uma (01) para candidato com deficiência, seis (06) para cota étnico-racial  para negros (pretos e pardos) e indígenas e duas (02) para candidatos estrangeiros, selecionados em edital próprio. Já para o Doutorado são oferecidas dez (10) vagas, sendo duas (02) para pessoas com deficiência e cota étnico-racial para negros (pretos e pardos) e indígenas e uma (01) para professor do Ensino Básico Público. Não há o preenchimento obrigatório das vagas para Mestrado e Doutorado. Além disso, se as vagas reservadas para as cotas não forem preenchidas, elas poderão ser alocadas aos demais candidatos, tanto na Seleção de Mestres como no Doutorado.