Adler Ariel Moreno Mendes

Mais que um jogo: Consumo de skins por mulheres no jogo League of Legends

Orientadora: Andrea Meyer Landulpho Medrado

Resumo:
Os games, na lógica contemporânea, abandonaram o tom de passatempo infantil, sendo praticados por todos os gêneros de diversas faixas etárias e de diferentes camadas sociais. Não só isso, como a contemporaneidade é atravessada pela era da comunicação digital, diferentes práticas surgem o que, consequentemente, afeta as relações sociais inseridas nesse período. O consumo, por exemplo, vem se alterando em função dessa lógica, com um número significativo de pessoas consumindo os chamados bens virtuais. Tendo como base Bourdieu (2017), Lipovetsky (2007) e Veblen (1983), além de outros autores, observo a associação entre games, sociedade, ambiente digital e consumo. A dissertação tem como objetivo primário entender a motivação das jogadoras no comércio de skins
dentro do game League of Legends. Não ignoro o machismo e a violência simbólica exercida contra essas mulheres no jogo League of Legends. Este assunto será o objeto de discussão na presente dissertação. Destaco as etapas de entrevistas com jogadoras de League of Legends e um mensário netnográfico mantido por mim ao longo do mestrado. Através desses métodos consigo responder minhas hipóteses, explorando de que maneiras possuir skins é uma busca por status, uma busca pela autorrepresentação identitária, uma busca para se inserir dentro do grupo ou busca para fugir do machismo.

Palavras-chave: Consumo, Machismo, Mulheres, League of Legends, skin

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/9769


Alexandre Freitas Campos

Cotidiano, Imaginário, e o Discurso da Ciência na série de TV Cosmos

Orientadora: Denise Tavares da Silva

Resumo:
Esta dissertação foca nas duas temporadas da série Cosmos (1980; 2014), tendo como objetivo central analisar suas estratégias narrativas e de linguagem na perspectiva de discutir como estas buscam promover a racionalidade científica e, concomitantemente, divulgar a ciência e sua importância para a compreensão do mundo em que vivemos e para além dele, ou seja, o próprio universo. Para tanto, a pesquisa vale-se, principalmente, de autores como Agnes Heller, Mikhail Bakhtin, Michel Maffesoli, Juremir Machado, Marcelo Gleiser e Benvenido León, pois seu percurso metodológico problematiza questões relacionadas ao cotidiano, aos dialogismos e gêneros discursivos, ao imaginário e, também, à construção narrativa do audiovisual de não-ficção de temática científica. Interessa, em especial, os modos como a série busca “atingir o imaginário” social, articulando em seu discurso narrativo dísticos como ciência e crença e/ou razão e emoção, construindo, paradoxalmente, uma visão poética e espiritualista do empreendimento científico. Destaca-se, também, que a dissertação tem em seu horizonte abordar a relação do audiovisual com a popularização da ciência.

Palavras-Chave: Cosmos; audiovisual de não-ficção; cotidiano; imaginário; divulgação científica.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/10177


Ana Carolina Cometti Oliozi

O carnaval na TV: análise da transmissão dos desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro nas telas das TVs Brasil e Globo

Orientadora: Renata Rezende Ribeiro

Resumo:
O desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro é um importante evento do Carnaval que alcança dimensões nacionais devido à transmissão em emissoras abertas de TV. Esse tipo de transmissão é realizado desde a década de 1960. A TV Globo, uma emissora privada brasileira, transmite os desfiles na Marquês de Sapucaí de forma contínua desde o ano de 1985. Em 2016, a TV Brasil, emissora pública brasileira, realizou pela primeira vez a transmissão do desfile das campeãs do Rio de Janeiro, a nível nacional e com sinal aberto de TV. Por isso, a principal questão levantada foi acerca das diferenças e semelhanças que essas coberturas poderiam apresentar. Neste trabalho, quando analisamos a forma como o carnaval e os desfiles se enquadram no cotidiano da cidade, também consideramos que ele está associado a um processo de midiatização que interfere nos festejos de todo o país. Enumeramos, ainda, as diferenças, regulações e legislações que diferem uma TV pública de uma TV privada, para contextualizar social e politicamente este trabalho. Por último, realizamos um estudo de caso das transmissões de ambas as emissoras, das escolas que foram campeãs nos anos de 2016, 2017 e 2018. Neste estudo, detalhamos pontos de convergência e divergência entre as transmissões a partir de uma análise de conteúdo desenvolvida pela própria autora.

Palavras-chave:  Televisão; carnaval; mídia; cotidiano; escolas de samba

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/9668


Ana Paula Muller Soares

Ativismo digital materno: características e interfaces do movimentos de mães em rede com a mídia independente e os feminismos

Orientadora: Andrea Medrado

Resumo:
O objetivo principal desta pesquisa é investigar de quais maneiras um movimento de mulheres mães em rede dá origem a um fenômeno que consideramos como uma forma distinta de ativismo: o ativismo digital materno. A partir desse argumento, buscamos apresentar outras questões importantes que norteiam o tema, tais como: quais são as principais características desse fenômeno e de que maneira ele se insere nos campos teórico e empírico do ativismo
digital; como se dão as relações entre o ativismo digital materno e os diversos feminismos em rede encontrados atualmente; e quais são as interfaces entre o ativismo digital materno e a informação independente. Com base em uma pesquisa inspirada na abordagem da etnografia digital, com observações participantes conduzidas na plataforma Cientista que Virou Mãe, a pesquisa revelou que o principal objetivo deste tipo de ativismo em rede é transformar a forma como a sociedade vê a mulher com filhos, politizando a maternidade e ocupando os espaços offline do cotidiano como forma de resistência.

Palavras-chave: ativismo digital; ativismo materno; movimentos sociais em rede; mídia independente; Cientista que Virou Mãe; redes sociais; comunicação digital.


Carlos Alberto M. Briggs Junior

O caso Playboy na mídia brasileira: Quando o cotidiano mitifica o anti-herói ao reforçar o estereótipo de criminalidade

Orientadora: Carla Baiense

Resumo:
Esta pesquisa propõe uma discussão acerca da manutenção do estereótipo de criminalidade diante das narrativas midiáticas, a serviço da classe hegemônica. Parte-se da perspectiva de que este discurso objetiva garantir a manutenção da estrutura de classes. Treze matérias dos principais sites de notícias do país foram analisadas sobre Luiz Fernando da Costa, mais conhecido como Fernandinho Beira Mar, Luciano Martiniano, o Pezão, e Celso Pinheiro Pimenta, mais conhecido como Playboy, em um movimento imbricado em Playboy na direção da imprensa carioca e vive-versa, tendo em vista a análise de que o bandido desloca a construção social de criminalidade e volta a garantir um lugar de fala na sociedade. Supõe-se, ainda, que estes movimentos contribuíram para a construção da memória social de Playboy, muito além das páginas policiais.

Palavras-chave: Violência, discurso, criminalidade, sociedade, produção intelectual

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/9770


Gabriel Faza Guedes de Souza

Fronteiras da Publicidade Social: #TodosContraTB e os desafios da mobilização social pelas redes

Orientadora: Patrícia Gonçalves Saldanha

Resumo:
A publicidade, enquanto ferramenta, serviu durante décadas ao mercado na criação e manutenção de um ambiente favorável a um consumo voraz, com consumidores ávidos por adquirir produtos e serviços. A publicidade social, entretanto, toma para si as ferramentas hegemônicas da publicidade e as utiliza para um novo fim,  contrahegemônico, que, pautado na criação do vínculo e no engajamento, é capaz de mobilizar a sociedade civil em prol de resoluções de causas comuns. É sobre o conceito de publicidade social, na perspectiva do Laccops, que se fundamenta esta pesquisa. O objeto analisado foi a campanha #TodosContraTB, coordenada pela organização Médicos Sem Fronteiras, que visava colher assinaturas através de uma petição online para pressionar os ministros da saúde dos países que ainda sofrem com alto índice de tuberculose na atualidade a tomarem medidas efetivas no combate à doença em seus países. Por se tratar de uma campanha realizada, especialmente, através de canais digitais, #TodosContraTB foi a base para que se refletisse sobre as possibilidades da publicidade social através das
redes digitais e se questionasse, até que ponto é possível que se realizem ações contrahegemônicas em um cenário modulado por ferramentas hegemônicas. Para, a partir daí, analisar se a campanha se enquadra no conceito de publicidade social, assim como, ela própria, contribui para sua complementação.

Palavras-chave: publicidade social; MSF; #TodosContraTB; engajamento; mobilização; tuberculose.


Jesiel Carvalho Lima de Araujo

Jogos de tabuleiro e apropriação de ambientes: o círculo mágico e a suspensão tática do cotidiano

Orientador: Emmanoel Martins Ferreira

Resumo:
Jogos de tabuleiro são um verdadeiro portal para um mundo mágico. Os preparativos necessários para jogá-lo são quase ritualísticos, onde todos sentam em volta da mesa e estão envolvidos naquela atividade, seja para ser o melhor estrategista ou apenas para dar boas risadas. É inegável que os jogos de tabuleiro estão presentes na humanidade há séculos e que fizeram parte da infância de muitos brasileiros e brasileiras. No entanto, um fenômeno diferente surgiu há alguns anos e está tomando as prateleiras das casas e fazendo lojas especializadas e eventos de jogos de tabuleiro se multiplicarem. Estamos falando dos jogos de tabuleiro modernos. Este trabalho busca traçar um breve panorama sobre a formação deste cenário e tentar entender melhor como estes jogos são jogados em ambientes que a princípio não foram pensados para eles, como a praça de alimentação de um shopping, por exemplo. Entender o papel e que lugar os jogos de tabuleiro modernos ocupam na estrutura do cotidiano contemporâneo é mais uma das questões levantadas nesta dissertação.

Palavras-chave:  jogos de tabuleiro, cotidiano, táticas, apropriação.


Larissa de Oliveira Cesar

Pastor Silas Malafaia nas eleições de 2018: O uso estratégico do Twitter como palanque no cotidiano midiatizado

Orientadora: Patrícia Gonçalves Saldanha

Resumo:
O número de fieis evangélicos no Brasil é cada vez maior, ao passo que a articulação política entre atores religiosos se fortaleceu no Congresso Nacional. A atuação política e o crescimento da população evangélica são frutos da expansão do movimento neopentecostal, segmento que se caracteriza ainda pela forte presença midiática. Em vista disso, se materializa uma atuação política que visa o travamento de lutas morais e os interesses midiáticos. Entende-se que a mídia assume espaço central na vida cotidiana. É nesse contexto que o pastor Silas Malafaia se fortalece como líder de opinião e influenciador digital: com ampla presença nos meios de comunicação de massa, nas mídias digitais e fora da mídia, alimentado por repercussões políticas. O trabalho tem como objetivo entender a construção estratégica da retórica de Malafaia com objetivo de persuadir sua audiência na rede social do Twitter durante as Eleições de 2018. Para isso, será utilizado um conjunto de métodos que une a pesquisa bibliográfica, a análise de conteúdo e a pesquisa documental. Os principais autores e conceitos utilizados para embasar o trabalho são: líder de opinião (LAZARSFELD, 1944), midiatização (SODRÉ, 2002, 2014), cotidiano (HELLER, 2000), análise de conteúdo (BARDIN, 1977), sociologia neopentecostal de Machado (2009) e Mariano (2005) e argumentação retórica (DITTRICH, 2008). Como resultado, conclui-se que a retórica estratégica empenhada por Malafaia prioriza as emoções, principalmente o asco, para persuadir seu público nas mídias digitais ao alimentar uma aversão pública contra a esquerda política e a grande imprensa.

Palavras-chaves: Comunicação em política, cotidiano, mídias digitais, religião, produção intelectual

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/9771


Leandro Marlon Barbosa Assis

Mídias Digitais, práticas docentes e cotidianos escolares: discussão do paradigma da escola do século XXI a partir da Educação Crítica para as Mídias

Orientador: Alexandre Farbiarz

Resumo:
Esta dissertação busca compreender as mudanças nos costumes e comportamentos no cotidiano escolar, a partir da inserção das mídias digitais, focando no paradigma da escola do século XXI, em especial no que se refere à formação para a reflexão crítica do educando, com foco na interface da Comunicação com a Educação pela perspectiva da Educação Crítica para as Mídias. A abordagem teórica se baseia principalmente nos escritos de Paulo Freire (1967; 2011; 2015b) e na revisão bibliográfica da área de interface (APARICI, 2014; BACCEGA, 2009; BUCKINGHAM, 2005; CITELLI, 2011; COSCARELLI, 2016; FEDOROV, 2008; FRAU-MEIGS, 2006; FREIRE; GUIMARÃES, 2011; GRIZZLY; CALVO, 2013; KELLNER; SHARE, 2008; OROZCO-GÓMEZ, 2011; SOARES, I., 2011) sob a perspectiva de diferenciação entre o conceito de mídias digitais (ALBURQUEQUE; BRITO, 2018; BELLONI, 2018) e de tecnologia (MILL; BERTOLDO, 2018). Para a elaboração deste trabalho, foram entrevistados 10 educadores em três escolas da Rede Estadual do Estado do Rio de Janeiro e, ainda, realizada a Pesquisa Participante no locus de seus cotidianos para fundamentação da observação. Com base na Análise de Conteúdo (BARDIN, 1977) das entrevistas, percebeu-se que os educadores se dividem em dois grupos: (a) os que utilizam as mídias e buscam exercer uma educação crítica e (b) os que utilizam de maneira acrítica as tecnologias ou que se recusam ao uso. Dessa análise, portanto, a pesquisa ressalta que a existência do primeiro grupo se deve, com maior peso: (1) à formação do educador; (2) à realidade em que está situada a escola; e (3) ao apoio recebido da escola e do governo.

Palavras-chave: Educação Crítica para as Mídias; Prática Docente; Mídias Digitais; Cotidiano Escolar.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/9772


Leticia Carolina dos Santos Moreira Pinho

Novas formas cotidianas de relacionamento do Papa Francisco com seus seguidores através do seu perfil no Instagram

Orientadora: Andrea Meyer Landulpho Medrado

Resumo:
As ávidas mudanças social, econômica e tecnológica, e a redução do tempo perante a multiplicidade de demandas cotidianas, vêm configurando a sociedade hipermoderna. Com isso, as redes de contato e a interação social têm sofrido alterações, a ponto dessas atravessarem o cotidiano dos sujeitos. Desse modo, a interação mediada pelas redes sociais está conquistando cada vez mais espaço na hipermodernidade (LIPOVETSKY, 2004), alcançando diversas instâncias da sociedade, inclusive líderes de instituições religiosas como, por exemplo, o Papa Francisco. Essa nova forma de comunicação utilizada pela Igreja Católica suscitou o levantamento do seguinte problema de pesquisa: De que forma a interação mediada cotidiana está transformando a natureza da comunicação do Papa Francisco com seus seguidores? Sendo assim, este estudo busca analisar de que forma a interação mediada cotidiana entre o Papa Francisco e seus seguidores, através do Instagram, pode contribuir para uma transformação na maneira em que os mesmos se conectam com a figura pública do Papa. A proposta é analisar quais são os tipos de conteúdo postados no Instagram do Papa que demonstram uma tendência para provocar mais reações entre os seguidores e por quê; investigar estilos, formatos e recursos das postagens no Instagram do Papa; verificar a natureza da interação mediada entre os seguidores e Francisco. Para realizar essa investigação são utilizadas como abordagens
metodológicas a netnografia (KOZINETS, 2014) e a análise de conteúdo (BARDIN, 2016). Os resultados apontam que o Instagram tem tornado o líder máximo da Igreja Católica mais acessível, mesmo não interagindo com os fiéis. Na página @franciscus, a interação mediada cotidiana não ocorre a partir de diálogos, mas sim de interações mútua e reativa, perante a observação da ressonância das publicações. Entretanto, o fato de estar em um ambiente que propõe uma comunicação horizontal, que veicula constantemente os seus “passos”, cria a sensação de proximidade com os seguidores. No ambiente digital da hipermodernidade, estar próximo é estar conectado.

Palavras-chave: mídia e cotidiano; interação; celebridade; Instagram; Papa Francisco.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/9773


Lílian Wilson de Oliveira Ferreira Tropiano

Malhação como um constructo simbólico: a representação do cotidiano escolar

Orientadora: Ana Paula Bragaglia

Resumo:
A pesquisa tem como objeto a representação da escola pública na mídia, em específico a novela Malhação temporada Viva a diferença. Para tanto, investigamos o discurso que surge da representação do cotidiano escolar nesse produto midiático. A novela Malhação passou a citar a escola pública como um espaço narrativo depois de 15 anos de exibição. Esse apagamento da representação da escola pública em um longo período da história do programa foi a motivação para a pesquisa, vista o estigma alcunhado à instituição em relação à origem social dos seus membros. A análise recai sobre a maneira como os agentes estabelecem as relações entre si e com o espaço da escola pública no cotidiano representado. A metodologia principal de coleta de dados utilizada foi a Análise do Discurso da linha francesa (CHARAUDEAU, 2001, 2004, 2007, 2013, 2016). Foram coletados em nosso recorte 14 episódios nos quais analisamos os efeitos de discurso. Desta forma, nos aportamos na teoria de representação social (MOSCOVICI, 2015) e nos conceitos de utopia e ideologia (RICOUER, 2015), opinião pública (LIPPMANN, 2017), senso comum (GRASMCI, 2011; MARTINS, 2010) e na teoria dos efeitos de patemização do discurso (CHARAUDEAU, 2007). Como principais resultados, observamos que embora a produção tenha expressado a intenção de romper com os estereótipos negativos sobre o cotidiano escolar da escola pública, seus agentes ainda não são representados de forma a diluir tais visões estereotipadas.

Palavras-chave: Cotidiano Escolar, Escola pública, Representação social, Estereótipo, Discurso

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/10221


Luciana Aparecida Carlos Ribeiro

#Empodere: Enfrentamento feminista com o uso de hashtags no cotidiano online

Orientadora: Renata Rezende Ribeiro

Resumo:
O crescente acesso à internet têm estabelecido transformações nas dinâmicas de relacionamento dos agentes sociais. Por vezes, práticas já instituídas são adaptadas para o ambiente digital e, em alguns casos, técnicas inovadoras surgem para suprir a necessidade do indivíduo. Nesta pesquisa, pretendemos compreender parte dessas mudanças observando a eclosão da luta pela igualdade de gênero nas redes sociais online. Para tanto, apresentaremos a trajetória de três campanhas feministas com uso de hashtags: #PrimeiroAssédio, #MeuAmigoSecreto e #33DiasSemMachismo. Buscamos compreender como os acontecimentos cotidianos geram mobilização nas redes sociais online e retornam ao ambiente presencial, conquistando espaço na grande mídia, gerando um fluxo de comunicação no qual o cotidiano é pautado e repautado por seus próprios acontecimentos, refletindo sobre os aspectos de retrocesso de direitos e desafios futuros. Discutiremos as origens e/ou histórico de algumas práticas machistas que permeiam a sociedade contemporânea sob o viés da naturalização da desigualdade de gênero, a partir do que chamaremos de Violência Legislativa, Violência Cultural e Violência Social.

Palavras-chave: feminismo; cotidiano; hashtags; redes sociais; Facebook

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/9775


Maria Cristina Guimarães Rosa do Amaral

Deslocamento de narrativas e sentidos na recirculação da notícia nas redes sociais: Um estudo da página “Caneta Desmanipuladora”

Orientador: João Batista de Abreu

Resumo:
Esta dissertação analisa a página virtual Caneta Desmanipuladora – disponível no Facebook em https://www.facebook.com/canetadesmanipuladora – que faz circular na internet versões de manchetes de jornais veiculadas pela grande imprensa que oferecem uma releitura da interpretação dos fatos narrados. Palavras são riscadas com pilot vermelho e eliminadas ou substituídas, ou ainda novas palavras são incluídas. Os sentidos produzidos pelo enunciado sugerem uma mudança no efeito de sentido original, indicando outros pontos de vista para a notícia. São apresentados exemplos de manchetes reconfiguradas em diversos aspectos da vida cotidiana. A página produz também uma nova prática de leitura, num imbricamento entre o jornalismo e o ativismo. Com base na metodologia survey, a pesquisa investiga ainda o universo do grupo O Rascunho, criado pelos fundadores da Caneta Desmanipuladora , e que serve como fórum de discussão e grupo de sugestão de pautas.

Palavras-chave: jornalismo; midia; ativismo; redes sociais

ink: https://app.uff.br/riuff/handle/1/10176 


Mirian Aranha Sampaio

Publicidade de medicamentos e automedicação: produções midiáticas e convergências com a sociedade medicalizada contemporânea

Orientadora: Ana Paula Bragaglia

Resumo:
A publicidade voltada para medicamentos isentos de prescrição médica, aqueles cuja compra não demanda de prescrição médica e a publicidade pode ser direcionada ao usuário do fármaco, possui grande espaço na mídia pós-moderna e está figurada entre as modalidades com maiores investimentos dedicados. Esta dissertação dedicou-se a compreender elementos que constituem o contexto em que essas peças são criadas, dentre eles as principais características do sujeito e da sociedade pós-moderna, marcada pelo fenômeno da medicalização, que também buscou-se apresentar. Além disso, foram abordadas as principais estratégias e recursos de marketing que apoiam as ações de publicidade tradicional, assim como àquelas voltadas para a promoção de medicamentos. Para este trabalho foi realizada revisão bibliográfica a respeito do tema e peças publicitárias dos fármacos Dorflex e Neosaldina foram analisadas, sob a metodologia da Análise do Discurso.

Palavras-chave: Publicidade; Medicamento; Medicalização; Mídia; Cotidiano.


Pamela Passos Mascarenhas

O jornalismo cultural pós-internet: uma análise da função do suplemento impresso diário no campo cultural a partir de sua relação com o mercado

Supervisora: Carla Baiense Felix

Resumo:
Partindo do princípio de que mudaram as formas de produzir, difundir e consumir bens simbólicos no mercado artístico e cultural com as infotelecomunicações (Schneider), esta dissertação busca analisar o impacto destes novos circuitos em dois mercados tradicionais, o Jornalismo Cultural e a música, a partir da experiência de cada um deles e da relação entre os dois no contexto das dinâmicas internas do campo artístico e cultural (Bourdieu), com foco no
suplemento cultural impresso diário e na indústria brasileira de música. A hipótese inicial era que o Jornalismo Cultural teria tido a importância de sua função de instância de reprodução e consagração deslocada dentro deste campo, a partir da proliferação de tecnologias digitais no cotidiano e a possibilidade de cada um ser um medium (Sodré), com uma aparente perda de hegemonia pelas mídias tradicionais. A partir de entrevistas com agentes do campo e da análise da trajetória do Segundo Caderno do jornal “O Globo”, considerando também a produção do Caderno B do “Jornal do Brasil”, contudo, podemos ver que as relações entre indústria da música e indústria jornalística não só não se enfraqueceram como o espaço do Jornalismo Cultural impresso diário ficou mais valorizado, pelo menos na perspectiva de sua função para as estratégias da indústria, e não especificamente para o leitor.

Palavras-chave: Jornalismo; Música; aspecto econômico; Indústria cultural; Mídia


Renata Palitó de Carvalho

Aspectos de ativismo digital na política municipal de São Gonçalo: Um estudo das páginas Fala Coroado e São Gonçalo da Depressão

Orientador: Adilson Vaz Cabral Filho

Resumo:
Neste trabalho percebemos como a internet e as redes sociais online formadas nos softwares sociais, em especial o Facebook, vêm se consolidando como plataformas de articulação social e mobilização para ações sociais e políticas, a partir da proliferação de comunidades virtuais com aspectos ativistas. Algumas dessas mídias sociais podem ser consideradas novos canais comunicativos de bairros e cidades, dotados da urgência da sociedade em cobrar providências, reivindicar melhorias, criticar agentes públicos/governo e conquistar visibilidade no ambiente digital, como vem ocorrendo no município de São Gonçalo, na região metropolitana do Rio de Janeiro. A partir deste contexto, são analisadas duas comunidades virtuais do município de São Gonçalo – “Fala Coroado” e “São Gonçalo dá Depressão” – utilizando-se o método netnográfico das postagens e comentários, empregado conjuntamente a análise quantitativa e uma entrevista online com os administradores de ambas as páginas. Concluímos que, enquanto a página “Fala Coroado” se constitui como um meio de ativismo digital embrionário, cujo maior desafio é ultrapassar os interesses do mandonismo e do proselitismo local, a página “São Gonçalo dá Depressão” atua como um parlatório digital que faz uso do humor para abordar temas sociopolíticos no município de São Gonçalo, e não como um meio de ativismo digital propriamente dito. Não obstante, a pesquisa mostra que novas formas de associativismos vêm sendo articuladas por cidadãos comuns, que utilizam as ferramentas disponibilizadas no meio digital para formar redes de ações ou apenas fomentar a sociabilidade e a troca de experiências de sujeitos que compartilham uma realidade social similar.

Palavras-chave: Ativismo Digital; Movimentos Sociais; Comunicação Comunitária; Mídias sociais; São Gonçalo

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/10180


Rodrigo Moraes Bittencourt Scisino Alonso

Some Kind of Monster: A midiatiazação e as representações sobre (e do) Heavy Metal

Orientadora: Denise Tavares da Silva

Resumo:
O objetivo deste trabalho é discutir a construção narrativa do documentário musical Some Kind of Monster (2004). Este retrata um período turbulento, em termos de relações pessoais, da banda de Heavy Metal Metallica, durante a gravação do álbum lançado no ano de 2003, chamado “St. Anger” (Santo Ódio). A questão teórica central que conduz esta dissertação é o conceito de midiatização conforme Hjarvard, (2012), isto é, a ideia de que a midiatização pode alterar o imaginário social construído a partir das representações midiáticas (cristalizações de determinadas identidades, fixação de preconceitos e estigmas etc). Assim, justifica-se a escolha desta obra, considerando-se que o imaginário em torno do Heavy Metal, conforme apresentamos neste trabalho, define-o a partir de estereótipos musicais e de comportamento que o fecham em um nicho pré-determinado, enquanto o documentário permite uma “quebra” desta circunscrição ao articular sua narrativa à vida cotidiana da banda, inclusive seus conflitos naquele período. A hipótese mobilizou um percurso metodológico que incluiu uma amostra de vídeos jornalísticos sobre o Heavy Metal nos anos do festival Rock in Rio (1985, 1991, 2001, 2011, 2013 e 2015), uma breve revisão da história do gênero enfatizando os momentos de inflexão que consolidaram as suas principais características musicais, visuais e de comportamento, e a análise do documentário Some Kind of Monster. É importante destacar que o principal eixo de cotejo foi a construção identitária deste gênero musical assumida pelo fluxo do underground e pelo que se privilegia no mainstream (que se relaciona com a música pop). Abordagem que se realizou em diálogo com autores como o já citado Stig Hjarvard; com Michel Maffesoli e seu conceito de formismo e discussão sobre tribos urbanas; com Jacques Aumont e Manoela Penafria (análise fílmica) e, também, com pesquisadores que discutem a mídia Kellner), a identidade (Stuart Hall), e o preconceito (Heller).

Palavras-chave: Heavy Metal; Midiatização; Representação; Preconceito; Cotidiano.